ago 25, 2017 / pentagono

As melhores práticas para aumentar a segurança empresarial

0

A segurança é um dos grandes desafios brasileiros da atualidade. No mundo corporativo, não é diferente. Não é em vão que cada dia mais as empresas investem em tecnologias, equipamentos, métodos e práticas para proteger seus patrimônios e as pessoas que fazem parte de suas equipes.

As melhores práticas para aumentar a segurança empresarial

Nunca se falou tanto na segurança empresarial como uma estratégia. Ela deixou de ser um luxo e passou a ser encarada como fundamental para a competitividade e o crescimento dos negócios.

Neste artigo, vamos refletir sobre algumas iniciativas e métodos que podem tornar uma empresa mais segura em todos os âmbitos. Continue lendo para entender!

A segurança empresarial é um meio de proteger os ativos empresariais e as pessoas

Uma boa estratégia de segurança empresarial é fundamental para as negócios que já entenderam que manter seu patrimônio e os funcionários protegidos também é uma forma de perpetuação do negócio.

Utilizando dispositivos eletrônicos, softwares, equipes de vigilância, serviços e procedimentos sempre atualizados e devidamente capacitados, as empresas mais seguras conseguem passar segurança ao mercado.

Os consumidores valorizam organizações que conseguem se manter longe de danos, furtos e assaltos causados por agentes externos e internos. Elas querem frequentar estabelecimentos seguros e adquirir produtos e serviços de marcas livres de insegurança. E isso precisa ser demonstrado claramente nas ações de marketing e comunicação, mas também no dia a dia, nas interações e na experiência proporcionada.

Tecnologia e serviços de segurança empresarial, cada vez mais acessíveis, precisam ser escolhidos com critério

Se por um lado softwares, equipamentos e serviços de segurança estão mais fáceis de serem adquiridos, por outro, é preciso ser criterioso na hora de adquiri-los e implementá-los.

É fundamental fazer um levantamento minucioso das necessidades da empresa com relação à segurança e firmar parcerias com fornecedores de ferramentas, dispositivos e serviços realmente eficazes.

E isso é conseguido com mais facilidade quando a empresa entende que a segurança empresarial e do patrimônio em si, é um investimento e não um gasto. Pelo contrário, empresas que mais investem em segurança são as que menos sofrem prejuízos relacionados à insegurança e à violência.

E atenção: estamos falando tanto da segurança física, com escolta armada para transportar valores, por exemplo, quanto da informação — os dados corporativos são muito valiosos e, por isso, estão sempre em risco diante de uma “indústria hacker” que não para de se sofisticar.

A segurança empresarial deve compor a operação do negócio, assim como as demais atividades diárias

É normal que a segurança empresarial não seja um serviço que componha o domínio de uma empresa. Para isso, existem empresas especializadas que podem fornecer serviços, pessoal qualificado, métodos e equipamentos.

Agora, se a empresa não assume que a segurança precisa fazer parte da sua estratégia processual, fica difícil planejar e estruturar o conjunto de atividades diárias a ser realizado realizado para manter o negócio seguro.

O ideal é firmar parcerias com fornecedores comprometidos a ajudar a empresa a montar uma operação de segurança eficiente. Por meio de uma consultoria de análise de riscos, por exemplo, é possível detectar o que precisa ser feito para que a segurança não pode ser vista como algo deslocado do restante do dia a dia operacional.

Postado em: segurança
Comentários
Sem Comentários
Ainda não há comentários.